Menu

Blog

Os perigos da Inatividade Física

Atualmente as doenças cardiovasculares e as cerebrovasculares são as principais causas de mortes no Brasil e no mundo.

Nesse cenário a inatividade física aparece como um fator de risco ou com um estilo de vida fisicamente ativo como fator de proteção para alguns agravos cardiovasculares e a hipertensão. Entretanto estima-se que a inatividade física mundial seja de 31,1% e no Brasil 16,2%. Assim torna-se necessário o estimulo a prática de atividade física, atualmente a mais difundida é atividade realizada no tempo livre ou lazer, entretanto outro tipo de atividade física pode ser uma excelente estratégia para a promoção da prática de atividade, a atividade física realizada como forma de transporte ou deslocamento.

A mudança do estilo de vida promovido pela urbanização alterou o cotidiano da população dos grandes centros urbanos. A industrialização proporcionou modernização e novas oportunidades de trabalho, contudo paralelamente surgiram efeitos deletérios como a poluição e consequentemente as doenças respiratórias, a alimentação pobre em hortaliças e rica gorduras evidenciando a obesidade e doenças associadas, a ansiedade, depressão e fobias fazendo com que os indivíduos se isolassem da sociedade favorecendo o consumo de álcool e drogas. A atividade física da mesma forma sofreu influência dos adventos da urbanização, como exemplo para essa ação, a dificuldade em se realizar atividades físicas em espaços públicos, em virtude da carência de espaços ou pela má conservação dos mesmos. Nesse momento a população passa a exercer atividades mais laboriosas e com menos gastos energéticos se tornando fisicamente inativas.

Atualmente já estão bem estabelecidos na literatura os benefícios da atividade física para manutenção da saúde e nas causas totais de morte.

Contudo a Organização Mundial de Saúde recomenda e classifica fisicamente ativos (≥ 150 minutos por semana de atividade moderada e ≥ 75 minutos por semana de atividade vigorosa), insuficientemente ativos (≤ 150 minutos por semana de atividade moderada e ≤ 75 minutos por semana de atividade vigorosa) e os indivíduos que não atendem as recomendações anteriores são considerados fisicamente inativos.

Diante disso torna-se de extrema importância a realização de atividade física, tanto no tempo no livre e/ou como forma de deslocamento. Assim diante desse contexto uma excelente estratégia para obter os benefícios da atividade física é o acumulo de 30 minutos diários, não contínuos. Vale lembrar que a atividade física não age isoladamente, torna-se necessário a mudança no estilo de vida.

Carlos Treff Jr.

Carlos Treff Jr., parceiro de Atletas em Ação, com formação em Educação Física e Mestre em Ciências Médicas pela USP (Universidade de São Paulo).

 

MEBI

O que é Ministério de Esportes com Base na Igreja O MEBI é um programa de Atletas em Ação em conjunto...

Saiba Mais